domingo, 23 de novembro de 2008

Adormeço

Aqui eu me deito e sinto,
Tua presença em meu leito,
E mesmo calado te guardo,
Junto a mim, em meu peito.

Me sinto seguro ao teu lado,
Posso ser o mar em tormento,
A brisa do outono.. o orvalho.
Ter a certeza desse sentimento.

Infinito que em mim não cabe,
Que vem como uma onda,
E me invade,
Toma conta de meu ser.

Sou tudo o que minha alma pode tocar,
E depois que tudo se for,
Serei aquilo que permanece,
Vendo a pureza e a ternura do teu olhar.

O mais lindo em sua essência,
Minhas forças regenera,
E eu sei... que a dor de tua ausência,
Vale cada minuto à tua espera.

Me sinto um pedaço de Deus,
Quando estou frente aos olhos teus,
Meu corpo inteiro arde em desejo,
Pensando em teu corpo e em teu beijo.

O céu azul tem em si,
A imensidão do meu amor,
E traz consigo a paz,
Desse sentimento forte.. que nada desfaz.

Então finalmente adormeço,
E te vejo comigo em meu sonho,
Cada encontro é como se fosse,
Como um novo dia e um novo recomeço,

Contigo me sinto eterno.


>>>f.a.l.l.i.n.g.b.o.y<<< \0/\0/

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Lamento

Assim como a penumbra em um campo vasto,
A sós, sente e chora seu lamento,
Assim como um homem simples... homem casto,
Triste e abandonado.. sem rumo... como o vento.
Mas ao mesmo tempo está desperto,
E guarda em si seu desalento mais puro,
Está longe mas se aproxima... e bem de perto,
Sente desferir a lança o golpe mais forte, mais duro.
Foi então perceber que abandonado pela sorte,
Acreditando ser alguém valioso,
Vê à sua frente a tão esperada e derradeira morte,
E lhe escapa como a areia o seu bem mais precioso.
Como então já se havia muitas vezes dito,
Chega a hora da aflição da despedida,
E num misto de horror sente-se um grito,
Acaba-se tudo, e mesmo sendo forte... não há mais vida.

falling boy... :)

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Untitled

Somos inquietos por natureza,
Sem perceber que nossa maior alegria,
Está sim, muito longe de nosso temor,
Reside não na solidão mas sim no amor!
Esse sim nos pertence. Essa crença.

Não sofremos nós em vão?
Basta olharmos nosso coração.
E vermos do que ele padece.
Sentirmos o que ele sente...
Pensarmos como ele pensa.

falling .b.o.y. >>> "As coisas mais simples, são em si as mais especiais..." :)

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Um sopro

Meus olhos vêem através da vidraça,
A escuridão... um sopro de vida,
Uma lembrança. Uma despedida.
A noite passa... mansa e calma.

Fonte inesgotável de sonhos,
Traz nela meus anseios,
Uma esperança. Sem medida.
À espera pelo alvorecer de minha alma.

Que não desespera mesmo tardia,
De ser tua maior recompensa!
Até que um novo dia nasça,
Ter alegria junto à paz de tua presença.

E a noite passa... sem ter volta!
Essa é sua beleza destemida.
Não retorna, só tem ida.
Chega então o amanhecer.

E a luz finalmente brilha,
Em seus infinitos segredos,
Tão singelos e simples... seus medos,
De ser luz e simplesmente não ver.

falling.boy

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Como uma estrela

A luz da noite transpassa,
Através da minha janela,
Alva e pura.
Como uma estrela.
Simplesmente fecho meus olhos.
E sei que posso vê-la.
Ela é quem me conduz.
Posso estar na treva, mas ela passa...
Tu és minha luz.

fa..ll..in..gb..oy