sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Flores Plásticas

Flores plásticas,
Em suas mãos.

Concepções drásticas,
De seu futuro...
Promissor e obscuro.

Seu charme e sorriso,
É arma que atira para todos os lados,
Causa temor, causa riso.

Isso é uma profunda lástima,
Ela, linda e abandonada,
Tem em seu ombro uma bolsa!
Tem em seus dias... um nada.

Perambula pela casa,
Pelas ruas, perdida,
E ela, anda poderosa!
Sem futuro,
Ama e idolatra sua vida.

Os dramas particulares,
Com as opiniões e vidas singulares,
Vão indo e a levam para o mesmo abismo,
Famosa desconhecida.

Deusa com seu red batom,
Sexy, bucólica,
E seu lirismo marrom.

Lágrimas.
Momento particular de auto-afirmação,
Exacerbada!
De corpo e alma ela se entrega.

Socialite brega.
Tergiversa sobre os incentivos,
De seus ótimos encontros furtivos!
Inesquecíveis e duradouros...

Ela se sente um lixo,
Sendo comparada à um bicho...
Com seus brincos,
Anéis e ouros.

Sem preconceito,
E com toda compostura,
Trabalho na cama de motel,
Um amor eterno de bordel,
Sua profissão é cultura.


FALLING.BOY

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!!