quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Errado (pas de problème!)

As coisas dão errado.
Isso é óbvio, mas é sempre bom afirmar isto de vez em quando, pra não fugir da memória.
O que não sei explicar é por que elas dão errado. Alguém entende onde quero chegar?
Falando em memória acho que às vezes ela nos prega peças. Acontece de acabarmos esquecendo das coisas importantes, ou talvez nem tanto.
Tipo uma anorexia mental, que esgota a gente que tenta ser um cara bacana e tudo e tal. Errar é muito humano e ficamos reféns de nós mesmos.
Temos exigências demais conosco, seres comuns, mas sabe como são as coisas, tudo passa.
Tudo acontecendo ao mesmo tempo é por demais insano.
Deixamos coisas pra trás e por mais que se tente dizer ok, mas quem é que não vai lembrar disto? A gente mesmo acaba esquecendo de tanta coisa e de vez em quando somos jumentos, concordem.
Não podemos confiar nas lembranças. Elas às vezes nos causam problemas, e ter problemas pra resolver nem sempre é sinônimo de competência ou sucesso.
Às vezes coisas importantes que precisamos saber simplesmente desaparecem pra não mais voltar.
Melhor nem comentar essas coisas que não são boas.
Precisamos estar acima dos pobres mortais e não digo isso por ser diferente nem por destaque ou por qualquer coisa que seja. Não vejamos isso como pressão cotidiana.
Tudo o que for viável para a satisfação e a nossa alegria, ótimo. Precisamos gostar de nós mesmos, nos achar interessantes, feios, bonitos, ridículos até. Tudo ótimo pois isto nos faz bem.
Precisamos nos elevar e pensar só no bom e no bonito dessa vida, e também no barato, se for o caso.
Aquilo que a gente precisa pra se sentir útil é sempre ter que fazer alguma coisa?
Veja bem, nem sempre se está no espírito de se fazer algo decente e convenhamos, erros acontecem com todos nós.
Eles teimam sempre em estragar a gente e tudo o que está ao nosso redor.
Em certos momentos podemos até adorar a possibilidade impossível de que, se eles tivessem evaporado do dicionário seria lindo por serem incômodos por demais e atrapalhar nossa vida.
Mas enfim, negócios à parte, eles até tem seu mérito.
Eles nos ajudam sim e, se entendermos as coisas da forma certa, eles podem até nos tornar pessoas melhores.
Então queridos problemas, eu vou lhes dar um aviso certo?
Não nos enlouqueçam pois não queremos cansar nossa beleza interior pensando em vocês, seus ordinários.
Sejam legais, e se tiverem que aparecer que seja bem pouco, obrigado.
Agora precisamos voltar pra vida normal, com licença.



(em vertigem mental inconsequente...)


fa((!n6 bOY

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!!