terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Virar Socialite

Nesta manhã ensolarada de trabalho estive pensando em como buscar formas de enriquecer. Já que a coisa anda tranquila e permite ter estes luxos. Ter tempo pra pensar nessas coisas em pleno expediente é algo raro. Tempinho livre para divagar sobre objetivos, ou seja, coisas que se almeja conquistar mas sem ter idéia de método e do exatamente como.
É sempre a mesma coisa a cada início de ano, novos velhos objetivos.
Ter o corpinho sarado dourado do verão, um grande amor na vida e a conta do banco recheada ao ponto de estar despreocupado com esse detalhe da vida.
Isso significa viver... só viver mesmo. Viver direito.
Imagine a situação de toda pessoa que em sã consciência precisa de grana. Quem é que nunca quis ser rico, bem sucedido famoso capa de revista?
Queria ser mulher e virar socialight. How beautiful it would be.
Agora... ser bem sucedido nos negócios é outra coisa, bem diferente e distante da realidade comum. Distante exatamente por isso: que raios de negócio será esse, que não me aparece num acesso raro de clarividência?
Se alguém descobrir o que é esse tal de negócio me avise.
Incrível foi estar estes tempos em off da vida, há bem pouco tempo atrás, e ter sonhado nitidamente ser o marido da Elisabeth Bishop, escritora famosa e estar em uma casa de campo maravilhosa, sem razão ou explicação aparente.
Estávamos lá nós dois, sentados conversando e tomando chimarrão, veja só o disparate. O chimarrão devia ser inglês eu acho.
Seria ótimo se não fosse apenas um sonho. Melhor ainda seria se não fosse o detalhe de que ela era lésbica convicta.
Portanto eu estava no lugar errado, com a pessoa errada. Lugar lindo mas a situação nem se fala.
Acabou ali mesmo o meu mais novo objetivo de 2012 que caiu no lugar comum de qualquer pessoa e que é... pensar em ganhar ou apenas ter, dinheiro. Ter não é nada fácil. Sonhos são apenas sonhos, não probabilidades.
Por enquanto vou vivendo a rotina, despreocupado com esses objetivos made in china: que são iguais aos que todo mundo tem no ano novo. Tipo feitos em fábrica.
É... até nos objetivos, mesmo que novos, as coisas se repetem. Simplesmente acho que o dinheiro não me pertence. Nem as idéias geniais e cheias de originalidade.
Adeus glamour, riqueza e empreendedorismo... fui pensar em outras coisas banais.
Até logo.



f.@LL!NG>)B0Y

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!!