terça-feira, 12 de maio de 2015

De sorte e valor

Tempo inútil,
De vida e de dor,
Arrasta-me.

Tempo útil,
De sorte e valor,
Transforma-me.

Torna-me fraco,
Torna-me forte.

Torno-me louco,
Sobra-me o pouco,
Sobra-me a morte.

A cada dia,
A renovação,
E o não ter.
Como escapar.

O não pertencer...
Torna-me leve,
Ensina-me a ver.


Além.
De mim,
E do que sou.

Tudo é tão pouco,
Resta-me o ser.
Até acabar.



fall!ng.boY

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Personal Drunk Hell

Inferno pessoal,
A morte, que faz nos render,
 póstuma...
Que aqui jaz.

Sinto,
Ninguém dirá nada, mas ao fim tudo será sofrimento temerário, será apenas solidão sem volta.
Mesmo que não saiba.

E eu só queria uma vida decente.
Mais nada, não queria nada.
Além disso...
E que Deus, sobe ao céu.
É minha alma.

Este é o final. 
A verdadeira dignidade. 
O alívio, 
Uma desculpa à finalmente não saber o que fazer.

Um esforço físico para o fim.
 A maravilha do sacrifício.
Até que ele e tudo termine. 
E seja a resposta.
Ao fim é uma arte.
Tristeza e também vigor.


fa,,lling/b0y




Pela memória de uma vítima fatal.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Lights and Action

Bad news around, good news around.
Corra atrás do tempo antes que ele corra atrás...
Da porta.
Da vida.
Dos próprios medos.
E dos segredos... aquilo que ninguém faz.


f@ll!ng..b0Y