terça-feira, 12 de maio de 2015

De sorte e valor

Tempo inútil,
De vida e de dor,
Arrasta-me.

Tempo útil,
De sorte e valor,
Transforma-me.

Torna-me fraco,
Torna-me forte.

Torno-me louco,
Sobra-me o pouco,
Sobra-me a morte.

A cada dia,
A renovação,
E o não ter.
Como escapar.

O não pertencer...
Torna-me leve,
Ensina-me a ver.


Além.
De mim,
E do que sou.

Tudo é tão pouco,
Resta-me o ser.
Até acabar.



fall!ng.boY